Ricardo Barrros vira réu na Justiça Eleitoral por suposto esquema de propina em contratos da Copel

24/11/2021


foto arquivo - O FATO MARINGÁ 

O Ministério Público do Estado do Paraná denunciou o suposto esquema que teria envolvido a compra de duas empresas do setor de energia eólica pela Copel. De acordo com a denúncia, o deputado teria usado sua influencia de secretário estadual de Indústria, Comércio e Assuntos para o Mercosul do Governo do Paraná para favorecer duas empresas da Galvao Engenharia. 

 

O processo corre sob sigilo na terceira zona eleitoral de Curitiba desde 17 de novembro. O deputado nega ter recebido valores ilícitos em dinheiro. Além de Barros outras três pessoas também viraram réus. São eles Eduardo Galvão da Galvão Engenharia e os empresários Delmo Vilhena e Élio Pereira.

O deputado terá que responder às acusações de lavagem de dinheiro, tráfico de influência e falsidade ideológica eleitoral.

 

 


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.