Professores e servidores da UEM suspendem a greve. CEP votará novo calendário acadêmico

13/08/2019


Novo calendário deve ser votado pelo CEP

A decisão de suspender a greve da UEM, veio nesta terça-feira, (13), após uma assembleia no Restaurante Universitário que reuniu professores e servidores da instituição. A greve durou 49 dias mas desde o 36º dia, ou seja desde 1º de agosto, o calendário acadêmico voltou a vigorar.  

A assembleia deliberou ainda, o reínicio das aulas para a próxima segunda-feira, (19).

O cessar fogo foi determinado pela ratificação da aceitação da proposta do governo de repor 5,08% em três anos. 

A suspensão da greve é um ato que como o próprio nome diz, suspende o movimento paredista mas não o considera concluso. 

Os sindicatos que hoje decidiram junto com seus filiados de retornar ao trabalho já avisaram "que a assembleia permanente continua aberta", e que não se descarta uma nova paralisação.

A consequencia mais marcante destes dias de paralisação, é a necessidade de votar um novo calendário acadêmico para ajustar as atividades. A assessoria de imprensa da UEM, informou hoje, que o Conselho de Ensino e Pesquisa - CEP, se reunirá na próxima quarta-feira, (21), para discutir e votar a matéria, que é de sua competência. Até lá, os alunos que moram fora, também terão tempo para retornarem àquela outra cidade que existe dentro de Maringá. 

 

 

 

 


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.