Paratleta supera dificuldades e quebra barreiras no esporte. Edson Yamada integra a equipe maringaense que de hoje, (20), a domingo disputa o Parajap´s em Londrina

20/06/2019


O paratleta Edson Yamada está entre os 189 integrantes da delegação maringaense que participarão dos Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná (Parajap′s), entre os dias 20 e 23 em Londrina. Yamada participará na modalidade do tênis de mesa pelo segundo ano consecutivo. Antes de se dedicar exclusivamente ao tênis de mesa, praticou natação, handebol e basquete. 
 
Em 1991, aos 27 anos, Yamada sofreu acidente de moto e ficou paraplégico em função de uma lesão na 4ª vértebra. Hoje, com 55 anos, treina semanalmente na Associação Cultural Esportiva de Maringá (Acema). “Quando fiquei paraplégico tive contato com o tênis de mesa e com a natação, na época preferi ficar na natação e deixei o tênis de mesa de lado. Depois pratiquei o basquete de cadeira de rodas e o handebol, onde sofri uma lesão após uma queda”, comenta o paratleta maringaense. 
 
“Como não temos muitos competidores nas classes, acabamos muitas vezes jogando contra adversários que possuem mais mobilidades do que nós. No ano passado, nos Parajap′s eu competi com jogadores da classe T5. Faço parte da classe T3. Com isso tenho mais dificuldades em equilibrar o tronco na cadeira do que um atleta T4 ou T5”, explica Yamada.
 
 
 
 
O tênis de mesa paradesportivo nos Parajap′s será separado em quatro classes: cadeirante - T1 a T5 -  Andantes: T6 a T10 - intelectual - T11 - síndrome de Down - TSD. A classificação é realizada a partir da mensuração do alcance de movimentos de cada competidor, dependendo da força muscular, restrições locomotoras e equilíbrio na cadeira de rodas.
 
Das 17 modalidades esportivas presentes nos Parajap′s, Maringá estará em 15. A Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesp), desenvolve todos os anos projetos para aumentar os esportes paralímpicos e incluir as pessoas. “Quando comecei no paradesporto era uma realidade totalmente diferente da que vivemos hoje. O preconceito era maior e também tinha a discriminação das pessoas. Aos poucos a sociedade mudou o olhar da gente e pararam de nos ver como coitados”, explica Edson. 
 
A equipe maringaense do tênis de mesa competirá com cinco atletas nos Parajap′s. “O Edson está muito comprometido com os treinos, está indo treinar frequentemente e é muito dedicado. Vamos surpreender os adversários nos saques e está mais preparado que o ano passado”, comenta a treinadora de equipe maringaense de tênis de mesa, Simone Yamada. 
 
fonte: Assessoria de Comunicação Prefeitura Municipal de Maringá 
 
 
LEIA TAMBÉM:
Maringá tem a 3ª maior delegação nos Parajap′s
Com 189 integrantes, entre paratletas, dirigentes, comissão técnica e organizadores, Maringá embarcou nesta quarta, 19, para Londrina, onde disputará a 8ª edição dos Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná (Parajap′s). Os jogos ocorrem até domingo, 23, em 14 praças esportivas. A delegação maringaense é a terceira maior dos jogos, atrás de Cascavel (237 integrantes) e Curitiba (217 integrantes). São mais de 50 cidades participantes entre 1,1 mil paratletas. 
 
A Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Esportes (Sesp), disponibilizou dois micro-ônibus, duas vans e dois ônibus convencionais. Das 17 modalidades esportivas presentes nos Parajap′s, Maringá estará em 15. Só não  contará com as equipes de futsal e rugby.
 
“A partir de 2017, investimos mais nos esportes paradesportivos. São várias associações esportivas que trabalham com a inclusão e a adaptação nas mais diversas modalidades. Melhoramos as estruturas dos complexos e condições de treinamentos, que antes eram minímas”, comenta o secretário de Esportes e Lazer, Valmir Fassina. Maringá sediou os Parajap′s em 2017 e é uma das cidades candidatas a sediar os jogos no ano que vem. 
 
No ano passado, em oito modalidades, das 16 disputadas, os maringaenses terminaram entre os três primeiros: paraciclismo (2º), goalball (3º), golf 7 (2º), parabadminton (2º), parataekwondo (2º), natação (2º) e atletismo (1º). “Em comparação com a edição passada, modalidades como a bocha e o basquete, a gente esperava resultado um pouco melhor”, cita o coordenador dos Esportes Olímpicos da Sesp, Silvio Rodrigues. 
 
O coordenador explica o nível dos jogos e o objetivo da delegação maringaense na competição. “Precisamos manter o foco durante os jogos, qualquer ponto que conquistarmos será de extrema importância. Na edição passada, a disputa com Londrina foi ponto a ponto e felizmente conseguimos ficar com a segunda colocação. Nesta edição, além de Londrina, a cidade de Cascavel se reforçou bastante, mas estamos confiantes e sabemos que temos potencial para conquistar as primeiras posições em diversas modalidades”, ressalta Silvio. 

Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.