Pandemia promove arbitrariedade e aprofunda desigualdades, afirma Amnistia Internacional

07/04/2021


 

pandemia enraizou desigualdades e promove a arbitrariedade. É o diagnóstico social do impacto da Covid-19 no mundo feito pela Amnistia Internacional. A organização considera que a pandemia veio amplificar a tendência das últimas décadas: os nacionalismos execerbam-se e a discriminação agrava-se.

O relatório de 2020 denuncia casos de abuso de poder grave a coberto da pandemia. Dá o exemplo do golpe de Estado em Myanmar e das Filipinas, onde o presidente deu ordem para atirar a matar aos que não cumprissem a quarentena.

"Os governos usaram a pandemia de Covid-19 como uma arma para atacar os direitos humanos. Os piores casos aconteceram onde governos recorreram a detenções em massa a coberto das restrições impostas pela Covid-19," denuncia Netsanet Belay, diretor de Investigação da Amnistia Internacional, entrevistado pela Euronews.

Para a Amnistia Internacional, a pandemia revelou uma "variante tóxica de líderes políticos", mas também de políticas mesmo nas democracias saudáveis. Décadas de austeridade e falta de investimento nos serviços públicos de saúde dificultam ainda hoje a resposta clínica. A organização relata ainda casos de intimidação a profissionais essenciais. euronews

 

CLIQUE PARA ASSISTIR A  TV WEB O FATO MARINGÁ


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.