Mário Hossokawa rebate relatório do Observatório Social sobre atividade parlamentar de 2018.
“Dificilmente a gente vê alguém do Observatório participando de sessão, no fim do ano pedem muitos documentos e acabam se equivocando", diz, Presidente da Câmara. O FATO oferece espaço para que o OSM fale responda as contestações do legislativo.

09/04/2019


foto: arquivo OFATOMARINGÁ

Da redação:

O presidente da Câmara Municipal de Maringá, vereador Mário Hossokawa, (PP), chamou de equivocadas algumas afirmações presentes no relatório desenvolvido pelo Observatório Social de Maringá, (OSM), no capítulo relativo às atividades parlamentares em 2018. 

Hossokawa foi enfático: "Dificilmente a gente vê alguém do Observatório participando de sessão ou mesmo chamando reuniões com a gente. No início do ano, eles simplesmente pedem uma quantidade absurda de documentações, para diversos setores da Câmara, e acabam se equivocando na divulgação dessas informações, muitas das quais, inclusive, disponíveis no Portal da Transparência e no site da Câmara”, criticou.

Hossokawa diz que o OSM comete injustiças contra o legislativo quando interpreta mal os dados que possui. Dados do Cerimonial da Câmara demonstrariam que o OSM teria errado até mesmo o número de sessões que contaram com a participação de todos os 15 vereadores em 2018. 

Os dados do Cerimonial demonstram que em 2018 aconteceram 81 sessões ordinárias e em 44 das quais, todos os 15 vereadores compareceram. Para o OSM, as sessões foram 83 e destas, somente 32 viram todos os vereadores presentes.

 

 

FALTAS JUSTIFICADAS: 

Outros dados que o legislativo contesta, dizem respeito às faltas justificadas. 

O presidente da casa ficou afastado por algumas sessões porque teve que se submeter a uma cirurgia cardíaca. 

Os então vereadores, Do Carmo e Marchese, hoje deputados estaduais, se afastaram durante o período de campanha, por 60 e 30 dias

respectivamente. A mesma justificativa vale também para o vereador Odair, que não foi eleito e retornou à sua cadeira na Câmara após 31

dias.  

 

FALTAS NÃO JUSTIFICADAS

O legislativo informou ainda através de sua assessoria de comunicação, que nos dois primeiros anos de atividade do atual legislativo, 2017 e

2018, somente em 6 ocasiões não foram apresentadas justificativas válidas e que nesses casos, os vereadores tiveram seus subsídios

decurtados.

 

PAUTAS DAS SESSÕES

No relatório do OSM, diz o texto publicado no site do legislativo, se lê que "a pauta da ordem do dia é publicada seria publicada há

poucas horas antes do horário das sessões", fato que é rechaçado pelo presidente Hossokawa que explica: “A Pauta da Ordem do Dia fica disponível cerca de 15 horas antes de a sessão começar. É o que conseguimos adiantar, pois respeitamos o regimento interno, que dá ao vereadores da Casa o direito de protocolar emendas e requerimentos em regime de urgência até às 17 horas do dia anterior à sessão”. 

Hossokawa, lembra que, de acordo com o regimento da Câmara, a pauta deve ser entregue aos vereadores com 4 horas de antecedência em

relação à sessão e que a Câmara respeita o tempo e normalmente divulga no site do legislativo entre 18h e 19h, ou seja, com 15 horas de

antecedência em relação à sessão do dia subsequente. 

com informações da Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal

O FATO MARINGÁ oferecerá espaço para que o Observatório Social responda as contestações do legislativo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

       

 

 

 

 


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.