Mandaguari institui Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora
O programa é voltado para crianças e adolescentes afastados da família por medida de proteção e que serão encaminhados para residências de famílias acolhedoras

10/07/2019


A Prefeitura de Mandaguari acaba de implantar uma nova política pública que garante o direito à convivência familiar para crianças e adolescentes separados de suas famílias. Aprovada pela Câmara Municipal, a lei 051/2019 institui o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora, que será coordenado pela Secretaria de Assistência Social.


O programa é voltado para crianças e adolescentes afastados da família por medida de proteção e que serão encaminhados para residências de famílias acolhedoras que recebem e cuidam provisoriamente delas enquanto aguardam o retorno para suas famílias de origem.

 

Para se tornar uma Família Acolhedora é preciso fazer um cadastro na Secretaria de Assistência Social, residir em Mandaguari há pelo menos 2 anos, não ter interesse em adoção, ter disponibilidade afetiva e emocional, ser maior de 21 ano sem restrição de gênero e estado civil, ter a concordância de todos os membros da família, não ter passado por situação de luto ou perda recente e não apresentar pendências com a Justiça e com o Conselho Tutelar. Os cadastrados serão selecionados e depois capacitados para serem inseridos ao serviço.


A secretária de Assistência Social, Gisele Knupp, explica que há regras já que o programa visa acolher essas crianças e adolescentes durante apenas um período. “Esse é um serviço de acolhimento e não de adoção. A pessoa terá a guarda provisória e se responsabilizará pelas atividades rotineiras da criança ou do adolescente até que eles retornem para suas famílias ou sejam encaminhados para adoção. É importante ressaltar que será um lar provisório para dar carinho, acolhimento e bem estar para essas crianças que já sofrerão bastante com o afastamento de sua família.  O principal objetivo é que a criança não vá para um abrigo e que retorne para sua família o mais breve possível”, reforça Gisele, informando que há uma ajuda de custo do Governo Federal para arcar com as despesas do acolhido.

Fonte: Assessoria de Imprensa Prefeitura de Mandaguari

 


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.