Kers apresenta o Wee, veículo elétrico que poderá ser fabricado em Maringá
Veja a entrevista com Carlos Motta, presidente da Kers e o passeio com o carro no centro da cidade

26/11/2021


Uma novela sobre carros elétricos já vista em outros tempos no Brasil com a Gurgel de 1970 a 1993, começa a ser apresentada em Maringá neste mês de novembro de 2021, em um remake que tem a Kers como elemento central da trama, e que dessa vez promete ter final feliz.

 

A montadora Kers apresentou na manhã desta sexta-feira, 26, no Centro de Convivência Comunitário de Maringá, o Wee, veículo elétrico de três rodas que tem autonomia para rodar até 200 km.

O engenheiro idealizador do veículo e também presidente da Kers, Carlos Motta, explica que Wee signifca "pequenino", de FATO, o carro projetado para uso urbano é capaz de transportar até duas pessoas. Já o termo Kers, vem da Fórmula 1, onde a palavra dá nome ao sistema de recuperação de energia durante a fase de freiada. 

Os desafios da Kers continuam sendo muito similares aos dos tempos de Gurgel, mas o que mudou radicalmente é a tecnologia à disposição. 

O Itaipu, elétrico da Gurgel, tinha uma bateria que pesava cerca de 320 kg em um carro que pesava somente 460. O Wee pesa 600 kg, mas a bateria pesa muito menos, somente 60kg. As baterias do passado eram de chumbo ácido, enquanto as de hoje são íons de lítio; a recarga demorava cerca de 10 horas e hoje demora entre uma e oito, mas oferece a facilidade de poder ser recarregado em uma tomada normal, na própria residência do proprietário do carro.

Quanto à performance. O Wee atinge mais de 100km/h, enquanto o Itaipu não passava dos 40.

 

Veja a entrevista com o presidente da Kers e idealizador do Wee, Engenheiro Carlos Motta.

Veja também a entrevista com o superintendente da Siacom - Michel Tamura

 

Mesmo com todas as dificuldades, a Odisséia de sucesso da Gurgel durou 27 anos antes de falir por causas que estão ligadas a um conjunto de fatores que vão desde altas alíquotas de impostos, falta de incentivo para o setor e até mesmo por fatores políticos. Já a odisséia da Kers está apenas começando e é favorecida pela necessidade que o planeta tem de substituir combustíveis fósseis por energias mais limpas e que favoreçam a qualidade do meio-ambiente.

As negociações para que a Kers venha se instalar no Parque Industrial da PR 317, nas próximidades do Aeroporto Regional de Maringá estão avançando rapidamente e o engenheiro explica que a luta agora é para que sua empresa consiga receber os mesmos incentivos fiscais que as outras montadoras existentes no Brasil já recebem.

Michel Tamura, superintendente da Secretaria de Inovação, Aceleração Econômica e Comunicação da Prefeitura de Maringá explica que o papel da administração é atrair indústrias de tecnologia limpa, sustentável como a Kers que traz muita tecnologia e que vai impactar positivamente na vida da cidade. "A empresa busca obter as mesmas condições comerciais e fiscais que as grandes montadoras possuem, e no que depender de Maringá ações similares como essa da Kers vão receber apoio para investirem na cidade", reforçou Tamura.

 

veja o passeio do WEE no Centro de Convivência e na Praça da Catedral

 

O Wee custará cerca de R$ 95 mil, já seu concorrente mais barato presente no mercado brasileiro custa cerca de R$ 160 mil.

Carlos Motta diz que se tudo der certo, já em 2022 a Kers poderá começar a fabricar veículos em Maringá. Da fábrica, os primeiros veículos deverão sair para atender os serviços de taxi e aplicativos, além disso, existe a intenção de disponibilizar carros no sistema Car Sharing. Para chegar ás concessionárias será necessário um pouco mais de tempo, mas o objetivo é atingir uma produção em escala de até 10 mil automóveis por ano, gerando cerca de 300 empregos diretos e mais de 3 mil indiretos. 

Se tudo isso ainda não é suficiente para convencer o consumidor final, a Kers apresenta um dado que é uma espécie da carta na manga que pode mudar as ideias das pessoas. Para rodar a mesma quilometragem que um movido a gasolina gasta R$ 500, o Wee gasta apenas R$ 100. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.