GUERRA: Ocidente aperta cerco à Rússia

25/03/2022


Os países do G7 estão prontos para adotar "mais sanções” contra a Rússia. Numa declaração conjunta, depois do encontro desta quinta-feira em Bruxelas, os líderes da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido recordaram as obrigações da Rússia ao abrigo de tratados internacionais e deixaram claro que não vão tolerar qualquer ameaça de utilização de armas químicas, biológicas e nucleares. O grupo dos sete países mais industrializados do mundo sublinhou a urgência de assistência humanitária aos refugidos e nas cidades ucranianas cercadas

O chanceler alemão disse que a Europa está  fazendo um grande esforço e precisa de uma ajuda global. "Enquanto líderes de nações industrializadas, entendemos que é nosso dever acolher refugiados da Ucrânia e protegê-los. Todos os países do G7 reconhecem este dever e querem estar à altura. Pedimos também a outros países que acolham refugiados de guerra", declarou Olaf Scholz.

O presidente dos Estados Unidos participou na reunião do G7. Depois do encontro, garantiu o apoio a todos os países que vão ser afetados com as sanções impostas a Moscovo. “O preço destas sanções não vai ser imposto apenas à Rússia, vai ser imposto a um grande número de países, incluindo países europeus e também ao nosso país”, destacou Joe Biden.

Também nesta quinta-feira, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução que responsabiliza a Rússia pela crise humanitária na Ucrânia. O texto, apresentado pela França e pelo México, obteve 140 votos a favor, cinco contra e 38 abstenções. Votaram contra a Rússia, Bielorrússia, Síria, Coreia do Norte e Eritreia. Euronews

Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.