Constituição divide um Chile em profunda crise. Grupos pró e contra e contra a reforma se enfrentaram nas ruas de Santiago

16/02/2020


 

lta tensão no Chile com confrontos entre dois grupos de manifestantes. Este sábado, mil pessoas saíram às ruas de Santiago, mostrando faixas com a fotografia de Augusto Pinochet e slogans alusivos ao antigo ditador.

Protestavam contra a reforma da constituição herdada da ditadura e que é uma das maiores exigências de vários setores da sociedade, desde o início da crise social em outubro.

"A razão por que votamos contra é porque rejeitamos a violência que nos foi imposta, porque somos uma república democrática e acreditamos na democracia, e sabemos que se o povo, que é o que eles fingem representar, o tivesse pedido, tê-lo-ia conseguido" afirma uma manifestante.

Outro, refere: "Acredito que a constituição pode e deve ser alterada, para que seja uma constituição para todos, mas não desta forma, com eles a colocarem uma arma aqui na nossa cabeça para assinarmos".

 

 

A tensão cresceu quando as marchas dos pró e contra a constituição se encontraram. A polícia usou canhões de água e gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes.

O confronto entre as duas posições vai durar pelo menos até 26 de abril, dia do referendo em que os chilenos decidem se haverá, ou não, uma nova constituição.


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.