Ato unificado no Hospital Universitário marca 16º dia da greve dos servidores estaduais 

10/07/2019


O dia seguinte à segunda mobilização pela data-base da categoria, em Curitiba, foi marcado por ações de greve em várias cidades do Estado. Em Maringá, nesta quarta (10), 16º dia da greve, os servidores estaduais realizaram ato unificado no Hospital Universitário (HU).

 

Organizado por quatro sindicatos representantes dos servidores da Saúde e da Educação – APP-Sindicato (servidores da rede estadual de ensino), Sinteemar (funcionários da UEM), Sesduem (professores da UEM) e SindSaúde-PR –, o ato teve início às 14 horas, em frente ao hospital, na Avenida Mandacaru.

 

Com rendimentos congelados desde 2016, os servidores deflagraram greve em uma pauta em comum: a reposição da inflação de 4,94%. No último dia 2, Ratinho ofereceu 0,5% a partir de outubro, a proposta foi rejeitada pelo Fórum das Entidades Sindicais (FES).

 

No HU, servidores relatam há deficiência de 400 servidores, 

 

No hospital, diz Simone Mancini, dirigente do Sinteemar, "há um amplo apoio à greve, porém, muitos servidores – em especial da emergência – não podem parar para não deixar desassistidos os pacientes em estado mais grave".

 

O ato unificado começou com uma conversa com os servidores estaduais que não puderam cruzar os braços. Em seguida, os grevistas se dirigiram para os fundos do HU para conversar com os familiares dos pacientes internados, a fim de explicar os motivos da greve.

O único culpado dessa greve é o governador. E essa panfletagem ajuda as pessoas a compreenderem a situação e a apoiar o movimento, que vai conquistando a opinião pública”, explica Vilma Garcia, presidenta da APP-Sindicato em Maringá.

 

O ato desta quarta-feira prosseguiu na Avenida Mandacaru, em frente ao HU. Na faixa de pedestres, grevistas interromperam o trânsito, por alguns segundos, estendendo faixas de protesto e distribuindo panfletos aos motoristas. Isso se repetiu por inúmeras vezes, até que os panfletos se esgotassem.

 

Adesão

No 16º dia da greve, a APP-Sindicato estima que a adesão dos servidores da rede estadual de ensino, na área do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Maringá, tenha chegado próximo a 80%. Em pelo menos 20 colégios da região a paralisação é integral, não havendo atendimento aos alunos.  

fonte: Assessoria de Imprensa 

 


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.