AMUSEP: Portal dos Municípios amplia transparência e segurança na tramitação de projetos

27/11/2019


foto: Cláudio Galleti

O Portal dos Municípios do Paraná amplia a transparência do investimento dos recursos públicos; proporciona mais segurança na tramitação dos projetos; reduz o tempo de análise dos dados; e evita que a frota de veículos oficiais e os servidores das prefeituras passem tempo demais nas rodovias. A análise é do coordenador do Escritório Regional do Paranacidade, em Maringá, José Edmir Miro Gaspar Falkemback, o Miro Falkemback. Ao lado do presidente da Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep), prefeito de Atalaia, Fábio Fumagalli Vilhena de Paiva, ele participou da abertura do curso ministrado pelo serviço social autônomo, nesta terça-feira (26), na sede da Amusep.

As atividades foram divididas em duas etapas. Pela manhã, o foco foi o Portal dos Municípios. À tarde, os participantes se concentraram nos detalhes para a elaboração dos projetos de pavimentação de vias urbanas, com o uso de concreto não armado. “Uma das missões da Amusep é proporcionar a formação e o aperfeiçoamento técnico dos integrantes do quadro de profissionais das prefeituras. O Portal e a opção pelo concreto não armado são novidades. Conhecer e criar uma intimidade com as ferramentas digitais da nova Plataforma do Paranacidade; e inteirar-se sobre as características do novo material a ser usado na pavimentação são essenciais para o bom desempenho dos servidores nas respectivas funções deles”, destaca Fábio Vilhena.

 

 

Universo digital

De acordo com Roberta Gonçalves, analista de Desenvolvimento Municipal do Paranacidade, o Portal reúne muitas informações, mas é de fácil acesso. Por meio da Plataforma, as prefeituras vão enviar certidões e documentos necessários para a assinatura de convênios para a execução de obras. Toda a comunicação é feita online, por meio da internet. Somente após a análise e aprovação de toda a documentação é que os municípios vão enviar a versão final do projeto, que será encaminhada para a montagem do edital de licitação. “Economizamos tempo, dinheiro e preservamos vidas, pois com menos viagens é menor o risco de acidentes nas estradas”, comenta, a engenheira Civil.

 

Sobre o concreto não armado, Miro Falkemback explica que o material é semelhante ao usado na construção de moradias e empresas. A diferença é que o da pavimentação é aplicado sem a adição de ferragem. “É um processo reconhecido e de benefícios comprovados. Tanto a implantação, quanto a manutenção e conservação têm um custo menor se comparado aos investimentos necessários para a pavimentação asfáltica”, ressalta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte: ASC/AMUSEP


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.