"CPI dos preços dos Combustíveis propõe investigar política de preços, sonegação e modelo tributário," diz Ricardo Barros

21/06/2022


 

A base aliada do presidente Jair Bolsonaro (PL) apresentou, nesta terça-feira (21), o requerimento de abertura da CPI do Preço dos Combustíveis. O plano de trabalho prevê a apuração em relação à definição da política de preços dos combustíveis no país, conforme explica o líder do Governo Federal, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR).

A CPI dos preços dos combustíveis investigará o impacto nos preços pelo endividamento da Petrobras, modelo tributário, sonegação fiscal e benefícios corporativos. “Isso além do modelo de gestão. Será esclarecedor para o consumidor, que é o acionista majoritário da Petrobras”, afirmou Barros.

Ao portal UOL, o deputado esclareceu não se tratar apenas de uma CPI para investigar a Petrobras em si: será algo mais amplo, disse. “A CPI não é da Petrobras, é do preço dos combustíveis. Ela vai averiguar tributação, sonegação, governança da Petrobras e todos fatores que afetam o preço dos combustíveis no Brasil”, reforçou o líder do Governo Federal na Câmara.

O novo Conselho e a nova diretoria vão revisar a política de preços da Petrobras, comentou Barros. “Para isso estão sendo nomeados. O presidente Bolsonaro já deu comando à nova diretoria para rever o modelo de preços da Petrobras, que precisa aplicar o lucro que tem para compensar preços internos. Se não, não precisa ser estatal”.

A CPI do Preço dos Combustíveis visa, dentre outros fatores, arrefecer o preço dos combustíveis que chega ao consumidor e, consequentemente, baratear os custos no setor de transportes, essencial para todos os outros setores da sociedade brasileira.

 Agência Câmara

 

 


Periódico Registrado em 04/09/2018 no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e no Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Maringá.
Protocolado e digitalizado sob nº 491.574 e matriculado no livro "B" sob nº 51.
Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.